CUIABÁ

13 de Setembro de 2018

A IMPORTÂNCIA DA
INTERMODALIDADE

Eclusas

 
              dnit

 

ECLUSAS

O que é ? – Eclusa é uma obra de engenharia hidráulica que permite que embarcações subam ou desçam os rios ou mares em locais onde existem barreiras. Ela atua como um verdadeiro elevador aquático, ajudando navios a transpor rios ou canais onde existe desnível no terreno. Esse desnível pode ser provocado pela construção de uma barragem ou uma hidrelétrica, por exemplo, ou de origem natural como cachoeiras e quedas d’água. A eclusa nada mais é que uma grande câmara de concreto com dois enormes portões de aço.

Dependendo da diferença de altitude entre o corpo d’água a montante e o corpo d’água a jusante da eclusa, ela pode ser classificada em: eclusa de baixa queda, eclusa de média queda, eclusa de alta queda e eclusa de altíssima queda.

O tamanho da queda influencia em fatores importantes como a maior ou menor propensão à formação de turbulência, o tempo de enchimento e esvaziamento, variação maior ou menor no pico das vazões de enchimento e esvaziamento, problemas de cavitação, velocidade de condução nos tubos de enchimento e esvaziamento e a necessidade de sistemas mais eficientes dissipadores de energia. Conforme aumenta o tamanho da queda, aumenta conseqüentemente a complexidade da eclusa.

Como funciona ? – Eclusas funcionam como degraus ou elevadores para navios: há duas comportas separando os dois níveis do curso d’água. Depois que o navio entra, os portões são fechados. Quando a embarcação passa do ponto mais baixo para o mais alto, e precisa subir o rio, ela entra na eclusa pelo lado jusante e permanece na câmara. A comporta de jusante é então fechada e a câmara enchida com água, causando a elevação da embarcação até que se atinja o nível do reservatório superior. A partir desse momento, a comporta de montante pode ser aberta e a embarcação sai da eclusa.

Quando o caminho é o inverso, e a embarcação precisa descer o rio, ela entra na câmara pelo lado montante da eclusa. A seguir, fecha-se a comporta de montante e esvazia-se gradualmente a câmara até que se atinja o nível do reservatório inferior. A porta de jusante é aberta e a embarcação sai da eclusa. As operações de enchimento e esvaziamento da câmara são geralmente feitas por gravidade com a ajuda de pequenas comportas e válvulas.

Qual o Princípio ? – O truque desse estranho elevador é a tubulação por onde a água entra e sai. O segredo está nas válvulas. A eclusa funciona sem necessidade de bombas e nenhuma energia é gasta para erguer o navio. Tudo é feito aproveitando o peso da própria água.

O princípio é antigo: eclusas já eram usadas pelos chineses no século VII. E eles viraram mestres no assunto, tanto que a atual construção, no rio Iangtsé, da hidrelétrica de Três Gargantas, a maior do mundo, inclui uma eclusa gigantesca. Para vencer um desnível de 113 metros, os barcos subirão uma altura igual à de um prédio de 50 andares.

 

Desenvolvido por Darma Tecnologia Desenvolvido por Darma Tecnologia