Palavra do Presidente

Fenavega

Navegar é Preciso ! A profética frase de Fernando Pessoa já indicava os caminhos que o país deveria trilhar para fortalecer o seu desenvolvimento econômico. Descoberto em decorrência de uma expedição náutica, o Brasil tem dimensões continentais que demandam excelência na sua logística de transportes para competitividade de suas exportações. Em termos de custo x benefício, nenhum outro modal é mais atrativo e de menos impacto ambiental do que o Transporte Hidroviário Interior.

Apesar de deter 12% de toda água doce do planeta, com inúmeros e grandes rios de dimensões nacionais, o país desperdiça esse potencial com uma utilização insipiente das hidrovias brasileiras. Não falta demanda. A carência por esta opção é enorme.

Desconsideradas no planejamento estrutural governamental nos últimos 50 anos, subordinadas aos interesses da nossa principal matriz energética e disputando orçamento com o transporte rodoviário, as hidrovias brasileiras praticamente inexistem, se compararmos com o potencial efetivamente disponível.

Para o país recuperar o tempo perdido, os desafios são imensos. As iniciativas governamentais e privadas isoladas são ineficientes, pois desconsideram a imperiosa necessidade da ação integrada, democrática e participativa como única forma de se vencer desafios desta magnitude num mundo globalizado. Como demonstram inúmeros e recentes episódios em nível mundial, a comunicação tornou-se peça fundamental e estratégica no planejamento de qualquer projeto bem sucedido.

Este é o conceito fundamental do Programa “Diálogos Hidroviáveis”. Utilizar a comunicação como forma eficiente e estratégica para a integração das diversas e importantes iniciativas que estão sendo desenvolvidas pelos principais players do setor de forma coordenada, inteligente e participativa, visando a otimização dos recursos e a excelência operacional de forma sustentável. Esses são os desafios que se apresentam

Raimundo Holanda C. Filho
Raimundo Holanda C. Filho
Presidente da Fenavega