AHSFRA – Administração da Hidrovia do São Francisco


person-placeholder-male
AHSFRA
ahsfra_300x300_acf_cropped_300x300_acf_cropped
Coordenador Geral
Mapa da Administração
Área Geográfica

DALTON SOARES DE FIGUEIREDO

Coordenador-Geral de Administração Hidroviária

E-mail: dalton.figueiredo@dnit.gov.brcgh.ahsfra@dnit.com.br

Fones: (38) 3741-1005   e  3741-3046

Substituto:

Roberto Magalhães Penna Neto

Fone: (38) 3743-3131

Fax: (38) 3741-3046

Endereço:

Praça do Porto, nº 70

Distrito Industrial

CEP: 39270-000 | Pirapora – MG

A Administração da Hidrovia do São Francisco – AHSFRA, órgão de infraestrutura hidroviária e portuária, tem como principal atribuição a prestação de serviços públicos de manutenção e aprimoramento das condições de navegabilidade do rio São Francisco e de seus afluentes navegáveis, mantendo-os em plenas condições para a realização da navegação comercial.

A manutenção das condições de navegabilidade do rio São Francisco visa garantir a segurança, a agilidade e a confiabilidade deste modal de transporte. São tarefas previstas em estatutos e imprescindíveis para a administração hidroviária, exigidas por lei e fiscalizadas pela Marinha do Brasil (no âmbito de operacionalidade e segurança) e pelo IBAMA (no âmbito dos impactos ao meio-ambiente), destacando-se:

  • Sinalização fixa de margem e balizamento flutuante;
  • Desassoreamento de canal de navegação;
  • Operação e manutenção da Eclusa de Sobradinho-BA;
  • Operação e manutenção do Porto Fluvial de Pirapora-MG;
  • Topobatimetria para definição de canal de navegação;
  • Monitoramento das condições hídricas do rio São Francisco e afluentes;
  • Monitoramento e gestão ambiental das atividades de manutenção da hidrovia;
  • Além dessas, outras atividades podem ser destacadas, a saber:
  • Realização de estudos para a expansão da hidrovia e do transporte de cargas por esta hidrovia;
  • Realização de estudos para aperfeiçoamento dos trabalhos operacionais desenvolvidos;
  • Realização de estudos para a expansão da hidrovia e do transporte de cargas por esta hidrovia;
  • Realização de estudos para aperfeiçoamento dos trabalhos operacionais desenvolvidos;
  • Realização de projetos e execução de intervenções estruturais na calha do rio com a finalidade de melhorar as condições atuais de navegação, tais como derrocamentos, obras hidráulicas para manutenção de calado, estruturas de contenção de margens entre outras;
  • Proposição de modificações na calha fluvial para melhoria das condições de navegação;
  • Monitoramento operacional da hidrovia com o auxílio de um Sistema de Informações Geográficas (SIG) e de simulação hidráulica;

A realização rotineira dos serviços acima mencionados, associada à regularização de vazões promovida pelos reservatórios das Usinas Hidrelétricas de Três Marias e de Sobradinho, assegura a manutenção permanente da navegabilidade do rio São Francisco, durante todo o ano.

A carga estimada com perfil hidroviário na área de influência da hidrovia é de mais de 4,0 milhões de toneladas/ano. Ao incluir o modal hidroviário no transporte desse volume de mercadorias, estima-se obter uma economia anual de 50 milhões de reais, em relação à matriz de transporte atualmente utilizada (quase exclusivamente rodoviária).

Mesmo em franca operação, a Hidrovia do São Francisco precisa realizar novas obras e estudos, aumentando a confiabilidade do modal para atrair maior volume de carga. A navegação interior é estratégica para todos os países desenvolvidos e que possuem uma rede hidrográfica desenvolvida, como no caso do Brasil.

O assunto Hidrovia é de grande relevância para a bacia do rio São Francisco, tal a importância das hidrovias como fomentador do desenvolvimento econômico e da expansão de fronteiras agrícolas no interior do país.